Filmes demasiado humanos

Hoje o post é sobre dois filmes que balançaram minhas estruturas esta semana: Children of Paradise (Les enfants du paradise) e Another Year. O primeiro, de Marcel Carné, foi filmado em 1945, durante a ocupação alemã na França. Muita gente diz que o longa, de mais de três horas, é o E o Vento Levou dos franceses. Se pensarmos no caráter do povo americano e no do povo francês, tem muito sentido. Children of Paradise conta a história da bela Garance e dos quatro homens apaixonados por ela: um assassino, um mímico, um ator e um conde. É uma história trágica, mas repleta de humanidade. Os diálogos são brilhantes e a gente se identifica com cada um dos personagens. Ninguém é inteiramente bom ou mau. São todos demasiado humanos. Está no meu top 5 da vida, sem dúvida.

Não tão incrível, mas tão humano quanto é Another Year, de um dos meus diretores contemporâneos preferidos, Mike Leigh. O filme mostra um casal maduro que leva uma vida serena, mas se vê cercado de amigos repletos de dilemas. Depressão, morte, solidão.Está tudo ali, no quintal da casa no subúrbio de Londres. O final, é de rasgar o coração. Os dois filmes estão no Netflix. Para quem está no Brasil, eu pesquisei aqui e vi que ambos estão nas locadoras. Facinho, facinho.

 

 

 

One thought on “Filmes demasiado humanos

  1. Não assisti a nenhum dos dois filmes, mas eu também gosto muito do Mike Leigh, especialmente da humanidade contida nos dramas que ele sempre conta. Vou procurar na locadora.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s