A mãe do homem

Acaba de sair aqui em Nova York um livraço, desse que fazem a gente querer mudar o mundo. Sim, eu falo isso de vários livros, mas o que fazer? Este me lembrou o que sentir depois de “Olga”, de Fernando Morais, que acabou se tornando um presente repetido para diversos amigos (para o amigo que o ganhou de mim e está descobrindo agora que vários outros ganharam, saiba que você foi o mais especial deles).

Pois bem, “A Singular Woman” conta a história de Stanley Ann Durham, uma americana branca, nascida no Kansas, que passou boa parte da vida na Indonésia. Seria uma vida anônima, não fosse ela mãe do piratinha da foto ao lado. Reconheceu? É Barack Obama.

Retratada na campanha presidencial ora como uma branquela do interior, ora como uma mãe omissa, ela passava longe desses esteriótipos. Teve um filho negro numa época em que mais da metade dos estados americanos proibia por lei o casamento interracial. Casou-se com um indonésio e se mudou para o país dele. Aprendeu a língua local e se apaixonou pelos costumes de tal forma que, mesmo separada, continuou vivendo lá, colhendo dados para sua tese de doutorado em antropologia. Foi organizadora comunitária (como o filho), mudou a vida de muita gente (como o filho) e correu atrás da própria sorte.

Vale muito a pena.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s